terça-feira, 1 de setembro de 2009

TRADICIONAL x PENTECOSTAL - Parte 1 - Como o Senhor Mudou Minhas Convicções

O Senhor Jesus Cristo me mostrou o Seu caminho pela primeira vez aos 12 anos de idade, e me salvou um ano depois. Ao converter-me, como tinha parentes numa igreja Batista tradicional, tornei-me membro desta igreja. Meus dois primeiros pastores ensinavam firmemente a Palavra de Deus, e isso trouxe grandes benefícios para o meu crescimento espiritual. De fato, se eu não tivesse tido esta base, não estaria firme no caminho do Senhor hoje. A única coisa desagradável que ensinavam era sobre os irmãos de doutrina pentecostal. Eles ensinavam abertamente que se encontrássemos algum pentecostal em nosso caminho, deveríamos dizer-lhe que estava seguindo ao diabo; quando perguntávamos aos pastores quem realizava curas e de onde vinham aquelas “palavras estranhas” naquelas igrejas, eles logo respondiam que era o diabo.


Na minha família somos em 5 pessoas. Eu fui o primeiro convertido a Cristo da família. O tempo foi se passando, e 2 anos depois um dos meus irmãos recebeu o Senhor Jesus em sua vida, e foi freqüentar uma igreja pentecostal. Ele acabou pregando o evangelho para o restante da família (embora eu também o tivesse feito), e meu outro irmão e minha mãe também se renderam a Cristo, e também foram para uma igreja pentecostal. Eu sempre os criticava e dizia que estavam seguindo ao diabo (por ter sido ensinado assim). Já eles nunca disseram isso de mim, pelo contrário, diziam que eu estava seguindo Jesus, mas que eu limitava o poder do Espírito Santo. Isso me ofendia muito.

Com o passar do tempo, ia observando as vidas cristãs dos meus irmãos, minhas cunhadas, minha mãe, e realmente comecei a ver mudança. De fato, uma das coisas que me fazia pensar que realmente os irmãos pentecostais eram seguidores verdadeiros de Cristo, assim como nós tradicionais, eram os frutos que eu via em suas vidas. Eles realmente produziam frutos dignos de arrependimento. Minha mãe era espírita, e meus irmãos, embora não tendo vícios e nem andando em imoralidades, viviam conforme o curso deste mundo. Portanto, a mudança de vida era notória.

Ao sentir o chamado de Deus para o ministério pastoral aos 18 anos, um ano depois fui preparar-me num seminário, e senti a direção do Senhor para estudar no seminário na cidade de Curitiba, onde morei por 5 anos, durante o curso que fiz, e formei-me em Bacharel em Teologia, Em dezembro de 2006 assumi meu primeiro ministério como pastor de uma igreja. Fui pastor desta igreja durante 2 anos. Eu amava a Palavra de Deus, e sempre a ensinava com intensidade e amor às “minhas” ovelhas, mas todas as vezes que pregava sobre o Corpo de Cristo em 1º Coríntios capítulo 12, tinha que pular boa parte dos versículos. E quanto a 1º Coríntios capítulo 14? Nem mencionava na igreja, só usava para atacar os irmãos do outro pensamento. Com isso, de vez em quando me perguntava: “Por que tenho que pular estes ensinamentos? Afinal de contas, por que estariam escritos no Novo Testamento, se não pudéssemos aplicar na igreja nos dias de hoje?” Dos 15 anos de convertido a Cristo que tenho, 13 deles fui ensinado que os dons do Espírito não eram para os dias de hoje, que eles acabaram com a morte do último apóstolo. Então, decidi estudar mais sobre o assunto. Pesquisei na internet e em diversos livros, tantos autores que concordavam quanto os que discordavam do assunto. Estudei ambos os lados, e confesso que fiquei confuso. Até que numa tarde de setembro de 2007, Deus usou um livro de Teologia Sistemática, que adquiri no seminário onde estudei, e que estava na minha estante de livros, para me mostrar que os dons do Espírito são ainda para os dias de hoje, e o serão até a volta de Cristo (1º Co. 1:7), dons de línguas, interpretação de línguas, cura, milagres, profecias. O Senhor também me mostrou que Ele ainda hoje continua falando por sonhos e revelações (descritos por toda a Bíblia).

Se você me perguntar hoje se me arrependo de ter estudado naquele seminário eu direi: “NÃO!” Alguns pastores, quando Deus revela-lhes algo na Palavra, jogam foram todo conhecimento anterior, mas eu não. Não jogo fora minhas raízes e bases consideradas por muitos de tradicionais. Costumo dizer aos meus irmãos em Cristo que “eu não perdi nada, apenas acrescentei ao meu conhecimento e à minha experiência com Deus ‘novos’ ensinamentos”, ensinamentos estes que sempre estiveram na Bíblia.

Hoje não estou mais naquele primeiro ministério. Sou, agora, o segundo pastor da Primeira Igreja Batista de Uberaba-MG, desde o início deste ano, e estou muito feliz nesta igreja. Continuo servindo ao Senhor de todo o coração, com a liberdade de praticar os dons descritos em 1ª Coríntios 12:4-11.
Blog Widget by LinkWithin

1 comentários:

Paulo S. Frias on 21 de agosto de 2011 09:10 disse...

Puxa fico feliz em ser o 1° a postar rsrs...

O seu testemunho é muito legal, e é quase igual o meu, orem ao contrario, pois de vez eu sair de uma igreja tradicional, eu sai de uma pentecostal para uma tradicional, sim verdade, hoje faço parte da PIB Piracicaba, e estou feliz lá, eu creio sim nos dons do espirito, assim como sua manifestação como curas, milagres, e libertação, porem tudo com ordem, pois nosso Deus não é bagunça. abraços!

 

PR. ANDERSON SERAPHIM - JESUS CRISTO NÃO É UMA OPÇÃO DE VIDA, É A ÚNICA FORMA DE VIDA Copyright © 2009 WoodMag is Designed by Ipietoon for Free Blogger Template