terça-feira, 1 de setembro de 2009

TRADICIONAL x PENTECOSTAL - Parte 6 - O Batismo com o Espírito Santo e o Falar em Línguas - Final

Existem apenas 7 versículos que falam diretamente sobre o Batismo com o Espírito Santo:

“Eu vos batizo com água, para arrependimento; mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.” Mt. 3:11

“Eu vos tenho batizado com água; ele, porém, vos batizará com o Espírito Santo.” Mc. 1:8

“ ... disse João a todos: Eu, na verdade, vos batizo com água, mas vem o que é mais poderoso do que eu, do qual não sou digno de desatar-lhe as correias das sandálias; ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.” Lc. 3:16


“Eu não o conhecia; aquele, porém, que me enviou a batizar com água me disse: Aquele sobre quem vires descer e pousar o Espírito, esse é o que batiza com o Espírito Santo.” Jo. 1:33

Nestas passagens temos pouca explicação sobre o que é o Batismo com o Espírito Santo. Tudo o que sabemos é que Jesus é quem realizaria esse batismo em seus seguidores.

Vejamos mais dois versículos:

“Porque João, na verdade, batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.” At. 1:5

“Quando, porém, comecei a falar, caiu o Espírito Santo sobre eles, como também sobre nós, no princípio. Então, me lembrei da palavra do Senhor, quando disse: João, na verdade, batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo.”
At. 11:16

Vemos que esse batismo com o Espírito Santo aconteceu no Pentecostes: o Espírito Santo desceu sobre os discípulos e eles falaram em outras línguas, e, a partir de então, outros O receberam também.

A última referência é 1ª Coríntios 12:13:

“Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizado em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito.”

Este trecho ensina que todos os crentes da igreja de Corinto foram batizados com o Espírito Santo, o que nos mostra que todo aquele que recebe Jesus como seu Salvador e Senhor é batizado com o Espírito Santo no momento da sua decisão. O Batismo com o Espírito Santo não é o “falar em línguas”, mas o recebimento do Espírito Santo, quando ele vem habitar no corpo do crente. Confirmamos isto através de 4 passagens:

1) ATOS 8:1-17 – os samaritanos, ao ouvirem a pregação de Filipe, creram no Senhor Jesus Cristo, e receberam-no como Salvador. Os apóstolos, sabendo disso, enviaram-lhe Pedro e João para lhes impor as mãos a fim de receberem o Espírito Santo em suas vidas. As pessoas, no princípio da igreja, O recebiam através dos apóstolos. Não se vê aqui ninguém falando em línguas. Eles converteram-se a Cristo e imediatamente receberam o Espírito Santo (batismo).


2) ATOS 10:34-48 – Pedro começou pregar Cristo para Cornélio e sua família. Ainda quando estavam ouvindo o evangelho, o Espírito Santo desceu sobre eles, e começaram a falar em línguas. Agora, note as palavras de Pedro:

“Porventura, pode alguém recusar água, para que não sejam batizados estes que, assim como nós, receberam o Espírito Santo?” (v.47)

Vejo aqui três fatos:
a) Eles receberam o Espírito Santo no momento em que creram em Cristo.
b) Eles receberam o Espírito Santo antes de serem batizados na água.
c) Eles receberam o Espírito Santo assim como Pedro recebeu (e quando Pedro O recebeu? Somente no Pentecostes).


3) ATOS 11:1-18 – os irmãos questionaram Pedro por ter se aproximado dos gentios. Pedro explica-lhes que o Espírito Santo também desceu sobre os gentios e não apenas sobre os judeus. Note, agora, mais uma vez as palavras de Pedro aos irmãos:

“Quando, porém, comecei a falar, caiu o Espírito Santo sobre eles, como também sobre nós, no princípio (QUANDO FOI “NO PRINCÍPIO”? NO PENTECOSTES!). Então, me lembrei da palavra do Senhor, quando disse: João, na verdade, batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo. Pois, se Deus lhes concedeu o mesmo dom que a nós nos outorgou quando cremos no Senhor Jesus, quem era eu para que pudesse resistir a Deus?” (vs.15-17)


4) ATOS 19:1-7 – Paulo encontra crentes em Éfeso que ainda não haviam recebido o Espírito Santo. Ao perguntar aos irmãos se O tinham recebido, Paulo se espanta com a resposta destes irmãos: “ ... nem mesmo ouvimos que existe o Espírito Santo.” (v.2). E então Paulo impõe-lhes as mãos e eles recebem o Espírito Santo, e falam em línguas e profetizam. Agora, notem a pergunta de Paulo:

“Recebestes, porventura, o Espírito Santo quando crestes?” (v.2)

Com isso, a Bíblia nos ensina que é normal para uma pessoa depois de receber Jesus Cristo como Salvador, receber também o Espírito Santo. Era anormal, como no caso dos discípulos em Éfeso, converter-se ao Senhor e ficar esperando o derramar do Espírito Santo.

Todas estas 4 passagens estão referindo-se ao mesmo evento: o Batismo com o Espírito Santo. Como observamos nestes trechos, o RECEBIMENTO DO ESPÍRITO SANTO EM NOSSA VIDA é chamado de BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO, e não o FALAR EM LÍNGUAS. Compare os trechos anteriores com 1ª Coríntios 12:13.

Outra coisa a ser reparada é sobre quem o Espírito Santo desceu: nos crentes de SAMARIA, num centurião ROMANO e em sua família, e nos crentes de ÉFESO. Nos dois primeiros casos o Espírito Santo desceu no momento da conversão deles, no último caso desceu depois por causa da ignorância destes discípulos acerca do que estava acontecendo. Deus permitiu que eles falassem em línguas (exceto os de Samaria) para provar aos discípulos, que eram JUDEUS, que o Espírito Santo também se manifesta nos GENTIOS. Isso havia sido profetizado por Isaías:

“Pelo que por lábios gaguejantes e por língua estranha falará o SENHOR a este povo, ao qual ele disse: Este é o descanso, dai descanso ao cansado; e este é o refrigério; mas não quiseram ouvir.” Is. 28:11,12

E Paulo cita que esta profecia se cumpriu, e muitos judeus creram no derramamento do Espírito Santo sobre os gentios, mas muitos não creram:

“Na lei está escrito: Falarei a este povo por homens de outras línguas e por lábios de outros povos, e nem assim me ouvirão, diz o Senhor.” 1ª Co. 14:21

Para entendermos melhor, temos de compreender o que foi o evento do Pentecostes em Atos 2. O Pentecostes era uma festa que fazia parte da cultura judaica. Porém, este Pentecostes foi escolhido por Deus como o ponto de transição entre a obra e o ministério do Espírito Santo na ANTIGA ALIANÇA e a obra e o ministério do Espírito Santo na NOVA ALIANÇA. O Espírito Santo sempre agiu no Antigo Testamento, mas não foi em todas as pessoas, só apenas em quem Deus queria. Ele descia sobre as pessoas, agia nelas, e voltava para o Pai, não habitava em ninguém. MOISÉS ansiava pelo dia em que o Espírito Santo seria derramado sobre todo o povo de Deus:

“Porém Moisés lhe disse: Tens ciúmes por mim? Tomara todo o povo do Senhor fosse profeta, que o Senhor lhes desse o seu Espírito!” Nm. 11:29

A capacitação do Espírito Santo para ministérios especiais poderia ser perdida, como aconteceu na vida de Saul:

“Tendo-se retirado de Saul o Espírito do Senhor, da parte deste um espírito maligno o atormentava.” 1ª Sm. 16:14

A obra do Espírito Santo era quase completamente limitada à nação de Israel, mas, na Nova Aliança, a IGREJA tornou-se uma nova habitação de Deus:

“ ... no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito.” Ef. 2:22

O povo de Deus no Antigo Testamento ansiava por uma era de “nova aliança”, em que a obra do Espírito Santo seria mais “poderosa” e muito mais difundida (Nm. 11:29; Jr. 31:31-33; Ez. 36:26,27; Jl. 2:28,29).

A Antiga Aliança durou até a época de João Batista (Mt. 11:13; Lc. 16:16). O Pentecostes foi a transição entre as alianças. O Espírito Santo não habitava pessoas, e a primeira vez que Ele veio habitar alguém foi neste evento judaico. Hoje, temos a certeza de que todos nós temos o Espírito Santo (Rm. 8:9-16; 1ª Co. 3:16; 6:19).

E quanto ao FALAR EM LÍNGUAS? Foi apenas UMA das evidências de que o Espírito Santo, outrora prometido, agora havia sido derramado. Depois dos discípulos, quando as pessoas recebiam o Espírito Santo, algumas falaram em línguas, outras não.

Então, o que é essa experiência que muitos crentes têm depois da conversão, no qual afirmam terem sido batizados pelo Espírito Santo? É uma experiência REAL e VERDADEIRA com Deus, mas não se chama Batismo com o Espírito Santo (como vimos), chama-se PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO, e todo crente deve ter esta experiência. A Bíblia ensina isso – At. 2:4; 4:8, 31; 6:3,8; 7:55; 9:17; At. 13:9 – a palavra CHEIOS DO ESPÍRITO SANTO.

Como é que aqueles que acreditam no chamado Batismo com o Espírito Santo sendo o “falar em línguas” ensinam uma pessoa a receber o mesmo? Não é incentivando-a à consagração, ao jejum, à oração e à fé? Pois é, qualquer crente que fizer isso por algum tempo vai ser dominado pelo Espírito Santo, e não pela carne, e, consequentemente, vai ficar CHEIO DO ESPÍRITO SANTO, vai transbordar, vai alcançar o que as pessoas chamam erradamente de Batismo com o Espírito Santo, e que biblicamente chama-se PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO. Quando pessoas ficarem cheias do Espírito Santo, aquelas que Deus escolheu para falarem em línguas, falarão, as que tiverem o dom de interpretação, interpretarão, os que tiverem dons de curar, curarão, aqueles que tiverem dom de profecia, profetizarão. Repito mais uma vez: isto chama-se PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO.

Ensinar que a Plenitude é Batismo, e que quando ocorre o batismo a pessoa fala em línguas, além de ser errado é muito perigoso. Com todo o respeito, os irmãos que pensam assim vão comprovar que o que eu estou dizendo é verdade se observarem os crentes de sua igreja: QUANTOS SÃO APENAS PAPAGAIOS DOS OUTROS E DIZEM FALAR EM LÍNGUAS, SÓ PRA DIZEREM QUE RECEBERAM O TAL “BATISMO”? QUANTOS ESTÃO BUSCANDO HÁ 10 ANOS OU MAIS O TAL “BATISMO” E NUNCA ALCANÇARAM? QUANTOS DEIXARAM DE PASTORAR IGREJAS PORQUE NÃO FALAM EM LÍNGUAS? QUANTOS IRMÃOS NA FÉ JÁ MUDARAM ATÉ DE IGREJA, FRUSTRADOS POR TANTO BUSCAREM FALAR EM LÍNGUAS E NÃO CONSEGUIREM?

Se Batismo com o Espírito Santo é “falar em línguas”:

1) POR QUE MUITOS CRENTES BUSCAM FALAR EM LÍNGUAS HÁ ANOS E NÃO CONSEGUEM FALAR, E ACABAM SE FRUSTRANDO? POR QUE OUTROS FALARAM APENAS UMA VEZ NA VIDA E NUNCA MAIS O FIZERAM?

2) SE UM CRENTE BUSCA FALAR EM LÍNGUAS E NUNCA CONSEGUE, DEUS NÃO HONRARIA A SUA BUSCA E CONSAGRAÇÃO E NÃO LHE CONCEDERIA ESTE DOM? POR QUE, ENTÃO, EM CENTENAS DE CASO NADA ACONTECE?

3) POR QUE MUITOS CRENTES QUE DIZEM FALAR EM LÍNGUAS SÓ REPETEM AS MESMAS PALAVRAS? NÃO SERIA UM EFEITO PSICOLÓGICO (DE TANTO ELE VER IRMÃOS FALAREM, ELE ACABA IMITANDO)?

4) POR QUE DEUS CRIARIA DUAS CATEGORIAS NO CRISTIANISMO: UMA DE CRENTES QUE REALMENTE FALAM EM LÍNGUAS E OUTROS QUE NUNCA CONSEGUEM FALAR?


Onde estão as respostas para estas perguntas? Haveremos de espiritualizar estas respostas, ou aceitaremos o que a Bíblia ensina realmente sobre o assunto? Isso só vem a provar que a verdade é que o Batismo com o Espírito Santo acontece no momento da nossa conversão a Cristo (é o recebimento do Espírito Santo), e a nova experiência com o Espírito Santo é chamado de PLENITUDE. Igrejas inteiras, outrora crendo no falar em línguas como evidência de Batismo, estão mudando para esta posição aqui demonstrada. Eu aprendi a mesma, e a defendo, porque vejo base bíblica, com homens que hoje entendem o que realmente a Bíblia ensina.

Conheço muitos crentes que realmente falam em línguas. E como eu sei que eles falam verdadeiramente? Porque o Espírito Santo testifica com o meu espírito. Porque eles realmente falam palavras ininteligíveis, diferentes umas das outras! E porque o Senhor mesmo me concedeu este dom, não para a minha própria glória, mas para a do Senhor. Eu nunca quis falar em línguas, mas um dia, orando ao Senhor, Ele me concedeu “novas” palavras. Então, abri minha boca e as pronunciei. Hoje, esta prática é constante em minha vida. A experiência foi real? SIM, foi! Isso é o Batismo com o Espírito Santo? NÃO! Isto é a PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO!

A experiência dos 12 apóstolos (Atos 2), bem como as dos crentes de Éfeso em Atos 19, não servem para afirmar que todos os crentes devem PRIMEIRO RECEBER JESUS CRISTO COMO SALVADOR e em segundo lugar, RECEBER O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO após algum tempo de conversão, como se fossem 2 experiências distintas (pois eles não tinham o Espírito Santo antes; eles viveram a transição entre a ANTIGA ALIANÇA e a NOVA ALIANÇA, e quando o Espírito Santo desceu sobre todos, alguns falaram em línguas, outros não). Pela Palavra, vemos que as 2 experiências acontecem no mesmo momento da nossa entrega a Jesus Cristo: CONFESSAMOS JESUS COMO NOSSO SENHOR E SALVADOR E INSTANTANEAMENTE RECEBEMOS O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO, ou seja, A HABITAÇÃO DO MESMO EM NOSSO CORPO. Portanto, o Batismo com o Espírito Santo não deve ser buscado, acontece no exato momento da nossa entrega a Cristo, é o recebimento do Espírito.

Aonde, em qualquer lugar do NOVO TESTAMENTO, você encontra alguma ordem para buscar-se o BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO?

A segunda experiência que se é ensinado em muitas igrejas, chamada de Batismo com o Espírito Santo, trata-se da mesma experiência que estou lhe descrevendo: temos que ter uma "segunda" experiência com o Espírito Santo após nossa conversão a Cristo, mas esta não se chama Batismo, e sim, PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO. À medida que vamos crescendo na fé, vamos tendo experiências com o Senhor, e em algum momento deste crescimento, recebemos um operar mais intenso do Espírito Santo em nossas vidas, e ficamos cheios dEle. Inicia-se, então, uma nova fase em nossa vida. A evidência deste enchimento (PLENITUDE) se manifesta de diferentes formas: uns falam em línguas, outros profetizam, outros realizam milagres, outros curas, etc., conforme a capacitação do Espírito Santo, e esta PLENITUDE (mas uma vez relembro: não BATISMO) não deve ficar somente neste novo início, mas deve perdurar por toda a nossa vida cristã.

Para ilustrar o que estou dizendo, mais uma vez, gosto muito de mencionar 1ª Coríntios 12:7-11 na versão de Bíblia NOVA TRADUÇÃO LINGUAGEM DE HOJE (NTLH), especialmente o versículo 7:

"PARA O BEM DE TODOS, DEUS DÁ A CADA UM ALGUMA PROVA DA PRESENÇA DO ESPÍRITO SANTO ..." (e as provas são os vs. 8 a 11).

Irmão(ã), se você é novo(a) na fé, ou se já tem algum tempo que recebeu a Cristo como Salvador, continue crescendo na sua fé, e peça ao Senhor para Ele te dar uma PROVA DA PRESENÇA DO ESPÍRITO SANTO na sua vida. No dia que a PLENITUDE chegar em sua vida, ou você falará em línguas, ou profetizará, ou interpretará uma mensagem em línguas, etc., mas não pense que isso foi o BATISMO, pois o mesmo aconteceu no momento em que você se converteu a Cristo, pense, sim, que foi a PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO. E quanto mais você buscar ter intimidade com o Senhor, mas este dom se manifestará na sua vida.

Aqueles que me conhecem mais de perto, nunca me verão incentivando algum crente a buscar o BATISMO COM O ESPÍRITO, pois a Bíblia mostra que já aconteceu, não precisa ser buscado, mas me verão incentivando crentes a buscar a PLENITUDE.





E quanto ao FALAR EM LÍNGUAS, o que a Bíblia ensina? Vamos examinar 2 capítulos, 1ª Coríntios 12 e 14:


1) NEM TODOS TÊM O DOM DE LÍNGUAS

“Têm todos dons de curar? (resposta que fica subentendida: NÃO) Falam todos em outras línguas? (resposta que fica subentendida: NÃO) Interpretam-nas todos? (resposta que fica subentendida: NÃO)” 1ª Co. 12:30

“O que (AQUELE) fala em outra língua ... Eu quisera que vós todos falásseis em outras línguas.” 1ª Co. 14:4,5

Como Paulo diz em 1ª Co. 12:13 que todos os coríntios eram batizados com o Espírito Santo, no corpo de Cristo, mas nem todos falavam em línguas (1ª Co. 12:30 e 14:4,5)?


2) FALAR EM LÍNGUAS É UMA LINGUAGEM PESSOAL DE COMUNICAÇÃO COM DEUS, TRAZ EDIFICAÇÃO SOMENTE PARA QUEM FALA, E NÃO PARA QUEM ESTÁ OUVINDO

“Pois quem fala em outra língua, não fala aos homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende e em espírito fala mistérios ... O que fala em outra língua a si mesmo se edifica ...” 1ª Co. 14:2,4


3) DIANTE DOS IRMÃOS DA IGREJA, PROFETIZAR É SUPERIOR AO DOM DE LÍNGUAS

“Segui o amor e procurai, com zelo, os dons espirituais, mas principalmente que profetizeis. Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.” 1ª Co. 14:1,2 (e vs.3-5,24,25).


4) AS LÍNGUAS EM PÚBLICO, SEM INTERPRETAÇÃO, NÃO TEM SENTIDO NENHUM, NEM PARA OS DESCRENTES, NEM PARA OS PRÓPRIOS CRENTES

“Agora, porém, irmãos, se eu for ter convosco falando em outras línguas, em que vos aproveitarei, se vos não falar por meio de revelação, ou de ciência, ou de profecia, ou de doutrina? ... E, se tu bendisseres apenas em espírito, como dirá o indouto o amém depois da tua ação de graças? Visto que não entende o que dizes; porque tu, de fato, dás bem graças a Deus, mas o outro não é edificado ... Contudo, prefiro falar na igreja cinco palavras com o meu entendimento, para instruir outros, a falar dez mil palavras em outra língua.” 1ª Co. 14:6,16,17,19


5) O OBJETIVO DO CULTO É A EDIFICAÇÃO DE TODOS, NÃO SÓ DO INDIVÍDUO

“O que fala em outra língua a si mesmo se edifica, mas o que profetiza edifica a igreja ... pois quem profetiza é superior ao que fala em outras línguas, salvo se as interpretar, para que a igreja receba edificação ... Agora, porém, irmãos, se eu for ter convosco falando em outras línguas, em que vos aproveitarei, se vos não falar por meio de revelação, ou de ciência, ou de profecia, ou de doutrina? ... Assim, vós, se, com a língua, não disserdes palavra compreensível, como se entenderá o que dizeis? Porque estareis como se falásseis ao ar ... Se, pois, toda a igreja se reunir no mesmo lugar, e todos se puserem a falar em outras línguas, no caso de entrarem indoutros ou incrédulos, não dirão, porventura, que estais loucos? ... Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele outra língua, e ainda outro interpretação. Seja tudo feito para edificação.” 1ª Co. 14:4-6,9,23,26

Paulo usa 2 ilustrações para esclarecer a nossa mente sobre o falar em línguas em público:

a) INSTRUMENTOS MUSICAIS – se os instrumentistas tocarem todos juntos, fazendo muito barulho, como se discernirá o som da flauta, do violão, do teclado, etc.? (14:7-9).

b) IDIOMAS HUMANOS – se uma pessoa falar em inglês e não em português comigo, ele será estrangeiro para mim, e eu para ele se não falar em inglês (14:10,11).


6) O USO DO FALAR EM LÍNGUAS NÃO DEVE SER PROIBIDO NA IGREJA, PORÉM, SE NÃO HOUVER INTERPRETAÇÃO, DEVE-SE FALAR CONSIGO MESMO E COM DEUS; HAVENDO INTERPRETAÇÃO, DEVE-SE FALAR EM PÚBLICO

“Não proibais o falar em outras línguas ... No caso de alguém falar em outra língua ... haja quem interprete. Mas, não havendo intérprete, fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus.” 1ª Co. 14:39b,27,28


7) MESMO QUANDO HOUVER INTERPRETAÇÃO DAS LÍNGUAS, DEVE EXISTIR ORDEM

“No caso de alguém falar em outra língua, que não sejam mais do que dois ou quando muito três, e isto sucessivamente, e haja quem interprete ... Tudo, porém, seja feito com decência e ordem.” 1ª Co. 14:27,40


8) QUANDO UMA PESSOA FALA EM LÍNGUAS, ELA FICA CONSCIENTE, E PODE CONTROLAR O USO EM PÚBLICO

“Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos próprios profetas, porque Deus não é de confusão, e sim de paz.” 1ª Co. 14:32,33

9) QUANDO UMA PESSOA FALA EM LÍNGUAS, O ESPÍRITO DELA FALA COM DEUS, MAS A MENTE FICA SEM ENTENDIMENTO

“Porque, se eu orar em outra língua, o meu espírito ora de fato, mas a minha mente fica infrutífera. Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com a mente ...” 1ª Co. 14:14,15


10) A INTERPRETAÇÃO DAS LÍNGUAS PODE VIR TANTO ATRAVÉS DAQUELE QUE FALA QUANTO DA PESSOA QUE TEM O DOM DE INTERPRETAR

“Pelo que, o que fala em outra língua deve orar para que a possa interpretar ... No caso de alguém falar em outra língua ... haja quem interprete. Mas não havendo intérprete, fique calado na igreja ...” 1ª Co. 14:13,27,28


11) FALAR EM LÍNGUAS DIANTE DOS INCRÉDULOS, SEM INTERPRETAÇÃO, É TER FALTA DE SABEDORIA

“Se, pois, toda a igreja se reunir no mesmo lugar, e todos se puserem a falar em outras línguas, no caso de entrarem indoutos ou incrédulos, não dirão, porventura, que estais loucos?” 1ª Co. 14:23


12) TODO CRENTE ESPIRITUAL ACEITA AS INSTRUÇÕES DE PAULO QUANTO AO FALAR EM LÍNGUAS; NÃO ACEITAR REVELA IMATURIDADE

“Irmãos, não sejais meninos no juízo; na malícia, sim, sede crianças; quanto ao juízo, sede homens amadurecidos ... Se alguém se considera profeta ou espiritual, reconheça ser mandamento do Senhor o que vos escrevo. E, se alguém o ignorar, será ignorado.” 1ª Co. 14:20,37,38



Bom, irmãos, aqui está o que a Palavra de Deus no ensina acerca destes dois assuntos. Aqueles que discordarem de mim sobre estas coisas, tudo bem, não vamos deixar de ser amigos e nem de deixarmos de ter comunhão uns com os outros, afinal, ainda que pensemos de forma diferente, na teoria, na prática estamos fazendo quase que a mesma coisa. Usamos palavras e termos diferentes, mas se analisarmos direitinho, veremos que a nossa prática é quase a mesma.

Encerro neste artigo o assunto atual. Deus abençoe a todos. Estejam na paz do Senhor.

PR. ANDERSON RENATO SERAPHIM
Blog Widget by LinkWithin

0 comentários:

 

PR. ANDERSON SERAPHIM - JESUS CRISTO NÃO É UMA OPÇÃO DE VIDA, É A ÚNICA FORMA DE VIDA Copyright © 2009 WoodMag is Designed by Ipietoon for Free Blogger Template