quarta-feira, 16 de março de 2011

PASTORA É ESTUPRADA POR FIEL E IGREJA A AFASTA POR "CONDUTA IMORAL"



Os responsáveis por uma igreja dispensaram uma pastora sob a acusação de “conduta imoral” por ter sido estuprada por um fiel e, segundo eles, não ter reagido. A pastora nega. Ela foi afastada de todas as atividades da igreja, incluindo sua participação em um grupo de capelões de um hospital.
A pastora recorreu à Justiça do Trabalho com o pedido de uma retratação e o pagamento de indenização por danos morais.
À Justiça, um representante da igreja confirmou que o motivo da dispensa foi o estupro. Argumentou que, se a mulher dele fosse atacada, ela gritaria e chutaria o estuprador, “como qualquer outra mulher faria”, conforme consta nos autos do processo.
A primeira instância decretou que a ação da pastora é improcedente, e ela recorreu ao TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 15ª Região, com sede em Campinas (SP).
O TRT reformou a sentença e determinou que a igreja pague uma indenização. Como a ação corre em segredo de justiça, não há informação sobre o valor da indenização nem sobre o nome da igreja. Ainda cabe recurso.
Para o escritório de advocacia Cremasco, de Campinas, a igreja “não poderia praticar o linchamento moral da pastora”, execrando-a publicamente. “Ela deveria ter oferecido apoio moral à vítima.”

FONTE: http://noticias.gospelmais.com.br/pastora-estuprada-fiel-igreja-conduta-imoral-polemica-justica-17470.html
LEIA MAIS...

GOLEIRO JÚLIO CÉSAR FALA DA FÉ NOS BASTIDORES DO CORINTHIANS


Encontro aconteceu no estúdio onde jogador produzira novo material

 Foto: Vinicius Cintra




Goleiro Júlio César fala da fé nos bastidores do Corinthians

Por: Robson Morais e Vinicius Cintra

    Religiosidade dentro e fora do campo. Foi a tônica da entrevista concedida pelo goleiro Júlio César, titular absoluto no clube paulista Corinthians. Evangélico desde 2005, o jogador que é membro da Igreja Apascentar de Guarulhos (SP) converteu-se quando ainda namorava Simone, hoje sua esposa. O encontro para a entrevista aconteceu no estúdio onde Júlio produzira um novo material para seu site pessoal. Perguntas sobre os lances da rodada, gols sofridos, vitória e derrota nas partidas, abriram espaço para outro lado do atleta: o servo de Deus.
                                                                                             Foto: Davi Martins
                  
                  'Me considero sim um diferencial por ser evangélico' revela o goleiro Júlio César


    Ser evangélico, segundo Júlio, ainda é um desafio para quem se dedica ao esporte. “O preconceito ainda existe, apesar de serem muitos os jogadores que se expõem como cristãos”, conta. Mesmo assim, o atleta garante que há espaço, ao menos em seu clube, para falar de Deus, principalmente entre concentrações e intervalos de jogos. “Muitos jogadores sabem bem das conversas sobre Deus, mesmo não sendo evangélicos. Alguns, claro, ainda são mais fechados, mas convidamos a todos para divulgar a palavra de Deus”.

    Numa dessas reuniões para falar de Cristo, Júlio contou com exclusividade, aconteceu a conversão de outro atleta que jogava no clube na época. O atacante Lulinha, hoje jogando na Europa, aceitou a Jesus após as reuniões feitas nos vestiários e centro de treinamento. “Ele (Lulinha) estava num momento difícil, sendo muito criticado e cobrado pela imprensa e torcida e hoje é, sem dúvida, uma benção. Em momentos difíceis a religiosidade é tudo”.

       Enquanto acontecia a entrevista, o Corinthians se mantinha como líder do Campeonato Paulista, vaga que nessa segunda-feira, 14, foi ocupada pelo São Paulo, segundo o critério de número de vitórias (total de nove partidas vencidas), mesmo após a vitória fora de casa sobre o Mirassol. Amistoso, o bate-papo contou com a presença dos repórteres Robson Morais, Vinícius Cintra e integrantes da equipe do portal, além da esposa, assessor e produtores do jogador, que hoje, além de titular absoluto, é aclamado pela torcida alvinegra. “Creio que todo meu sucesso é graças à Deus. Nem nos meus melhores sonhos imaginei viver o que vivo hoje”.

    Em segundo lugar na tabela (com um total de oito vitórias), a guinada corintiana no campeonato paulista aliviou a tensão provocada pela eliminação precoce na Copa Libertadores. Na ocasião, nomes como Roberto Carlos, Ronaldo Fenômeno e o técnico Tite foram os apontados como principais culpados e vítimas da revolta de parte da torcida. Sujeito a mesma perseguição, Júlio César se manteve querido, e ainda aclamado na partida seguinte, contra o rival Palmeiras. “Tudo o que aconteceu após o dia dois de fevereiro (data da eliminação) foi graças à mão de Deus. No segundo jogo, quando sofremos o primeiro gol abaixei a cabeça e pedi a Ele que me protegesse. Quando o jogo acabou eu estava imensamente triste, mas confiava que Deus estava ali. Claro que desaprovei toda agressão que foi gerada, mas agradeci porque Ele cuidou bem de mim”, revelou o jogador.

LEIA MAIS...

PASTOR NO DRAMA DO JAPÃO

Após terremoto, voluntários arrecadam alimentos e roupas no Templo da Ceva

 Foto: Ceva

Em entrevista ao CREIO, líder fala do medo e mobilização de Igrejas

Por: Mayra Haron
     “E lançaram pó sobre as suas cabeças, e clamavam, chorando e lamentando, dizendo: Ai! ai da grande cidade, na qual todos os que tinham naus no mar se enriqueceram em razão da sua opulência! porque numa só hora foi assolada”.
                                                                                     (Apocalipse 18:19)

     O versículo acima possui quase dois mil anos, mas parece ter sido escrito esta semana. Todo o drama vivido pelos japoneses desde a última sexta-feira, 11, segue longe de um final feliz. A cada minuto, jornais de todo o mundo relatam a situação, que se agravou no último domingo, 13, com a explosão de um reator nuclear na usina da cidade de Fukushima, gerando uma constante e catastrófica ameaça de contágio radioativo. Números confirmam a morte de, pelo menos, 1800 pessoas e a quantidade de desaparecidos ultrapassa a casa dos 10 mil. Danos financeiros estimados em 10 bilhões de dólares. Com exclusividade, CREIO conversou com o pastor Victor Pinheiro, da Comunidade Evangélica Vida Abundante, no Japão.
                                                                                                               

     Nascido no Brasil, Pinheiro estudou jornalismo nos EUA e atualmente prega em Nihon, cidade próxima as mais atingidas pelo terremoto. Segundo ele, voluntários tem colhido doações de alimentos, materiais de higiene e roupas dentro do Templo. “Todos os lugares para arrecadação são voluntários, como igrejas e pontos na comunidade brasileira. As prefeituras e outras entidades governamentais não estão recebendo nenhum donativo a não ser recursos financeiros, ou seja, dinheiro para compra de alimentos” relata. Entre os maiores obstáculos, escassez, falta de recursos para locomoção até as áreas atingidas e, claro, o medo foram citados. Confira na íntegra:

CREIO: Como foi à mobilização após o primeiro terremoto. Ninguém esperava um tremor tão forte, como as pessoasautoridades, governos, igrejas se mobilizaram nesse primeiro momento?
- Tivemos um terremoto aqui em Agosto de 2009 que foi muito pior, mas curto, esse foi 35 segundos de acordo com as autoridades e pareceu uma eternidade, mas não foi muito forte aqui na nossa região. A primeira mobilização não foi uma mobilização e sim um choque de ver as cenas pela televisão e realmente não saber o que fazer. 

CREIO: O que piorou com o 2º tremor?
- No Japão a comunidade já está acostumada com os chamados "after-shocks" e o trabalho começou de evacuação da área. 

CREIO: Como está sendo feito o trabalho de arrecadação? O que exatamente é arrecadado e quais os lugares específicos para as doações?

O trabalho é voluntário e estamos contando com a ajuda dos membros da igreja como ponto de informação para o resto da comunidade brasileira, também trabalhamos com outras igrejas amigas para movimentar e arrecadar o maior número possível de itens.  Estamos recebendo muitas roupas de frio, agasalhos e cobertores, que são a maior necessidade do momento devido ao frio na região. Também estamos recebendo alimentos não perecíveis e fraldas descartáveis para adultos e crianças, além de água e alimentos instantâneos que não precisam ser levados ao fogo ou cozinhados.  Todos os lugares para arrecadação são voluntários, como igrejas e pontos na comunidade brasileira.  As prefeituras e outras entidades governamentais não estão recebendo nenhum donativo a não serem recursos financeiros, ou seja, dinheiro para compra de alimentos. 
                                                                                         Foto: Ceva
                        
                                       Voluntária ajuda da separação de donativos

CREIO: Existem pessoas abrigadas na igreja? O senhor acredita que esse número vai aumentar?
- Não existem no momento, porque não estamos exatamente na área afetada, mas estamos dispostos a receber pessoas se assim for necessário. 

CREIO: Quais são as maiores dificuldades e preocupações nesse momento?

A maior dificuldade no momento é chegar à localidade.  Não existem rodovias abertas e disponíveis para isso, as estradas estão interditadas e o único acesso é por estradas paralelas que são de difícil acesso.  O outro problema é que os tremores continuam na área e as pessoas temem por outro tsunami, mas as autoridades a pouco descartaram essa hipótese.  E a última preocupação é a usina nucelar, devido a estar em risco de contaminação ainda. 


CREIO: Como tem sido o acesso de vocês à informações? Como a mídia japonesa tem noticiado os acontecimentos?
- O acesso tem sido excelente devido à televisão japonesa estar transmitindo as informações em vários idiomas 24 horas, inclusive em português.  E temos informações vindas da embaixada de Tókio e o consulado brasileiro via twitter.  Conseguimos comunicação com as prefeituras locais também. 

CREIO: Qual a ação dos grupos evangélicos? Como tem sido a comunicação entres esses grupos e quais as principais ações?
- As igrejas na nossa região estão se unindo com o mesmo propósito de arrecadação de donativos e informação para chegarmos ao local.  Nesse momento estamos aqui na igreja é 1h da manhã (13 horas aqui no horário de Brasília) esperando cinco caminhões que virão buscar os alimentos.  Varias igrejas de varias denominações entraram em contato e deixaram donativos aqui conosco e nós também iremos levar donativos a outra igreja até sexta-feira, 18, para uma próxima leva de donativos ao local.  A principal ação é arrecadar donativos somente, devido à dificuldade de acesso ao local. 

CREIO: Existem equipes de evangelismo trabalhando?
- Nesse momento estamos restritos as nossas localidades devido à falta de acesso e permissão.  Estamos enviando panfletos entre os donativos e esperamos uma entrega em mãos desses panfletos na entrega desses alimentos.

CREIO: Qual a importância do cristianismo nessa hora?

- A importância do Cristianismo nessa hora é única: Solidariedade.  Temos que ser os braços e as pernas de Jesus, deixando de lado qualquer hipótese de definir a tragédia com teologias e "achometros" que não levam nenhuma comida a boca de ninguém.  Oramos durante o acontecimento e clamamos a Deus por misericórdia e agora é hora de agir, por isso estamos aqui incansáveis até ver esses donativos chegarem até essas pessoas, pois isso também é reino de Deus.


CREIO: Na noite de domingo, 13, aqui no Brasil tivemos a informação de que um reator da usina nuclear de Fukushima explodiu. O que realmente aconteceu e quais as últimas notícias em relação a essa explosão? O que o governo tem passado a vocês em relação a isso?
- Realmente tivemos essa informação, mas o que a televisão japonesa está passando é bem diferente do que tenho ouvido no Brasil e no CNN.  O governo disse a pouco tempo que a situação está sob controle e que o núcleo não foi afetado.  O porta-voz disse: O edifício do reator explodiu, mas o recinto de segurança não foi danificado. A sala de controle do reator 3 continua operacional" 

CREIO: Qual a situação atual? Quais os riscos apresentados?
- Yukio Edano, porta-voz do governo, disse que o trabalho feito para resfriar o reator (que consiste em bombear água do mar para o reator) pode estabilizar a situação, e que o nível de radiação da central nuclear, que fica a 250 quilômetros de Tóquio, é tolerável para humanos. 

CREIO: Quais trabalhos estão sendo feitos para evitar as conseqüências possíveis após essa explosão e risco de novos tremores?
- Bom sobre a usina não tenho muita informação, mas o que estamos tentando fazer aqui do nosso lado é arrecadar o máximo de donativos possíveis para que quando o acesso for permitido estaremos dispostos a ir como voluntários ao local para fazer a entrega e também se preciso erguer as mangas e ajudar na reconstrução da cidade.


LEIA MAIS...

SIGILO BANCÁRIO DE PASTORES DA ASSEMBLÉIA DE DEUS É QUEBRADO EM MG - E COM RAZÃO



    A justiça atendeu o pedido do delegado que investiga suposto crime de falsidade ideológica cometido pelo atual presidente da igreja.


    O delegado do 1º Distrito Policial de Rio Preto Júlio Cezar Simões Pesquero pediu à Justiça a quebra do sigilo bancário da Igreja Assembleia de Deus Ministério Rio Preto e de seis membros da entidade entre os meses de julho de 2008 a dezembro de 2009.

    O pedido consta do inquérito, que investiga suposto crime de falsidade ideológica cometido pelo atual presidente da igreja, pastor Wanderley Melo. Com a morte do pastor José Perozin em 2009, foi deflagrada uma disputa interna pelo comando da entidade em Rio Preto que incluiu falsificação de documentos e distribuição de presentes a aliados.

    Além da igreja e Melo, o inquérito – que tramita sob sigilo na Justiça local – pede a quebra do sigilo das contas bancárias dos pastores Osório Guson, João Nilton de Melo, Devair Garutti, além da esposa do pastor morto, Claudete de Jesus Perozin, e do ex-gerente administrativo financeiro da entidade André Faustino Machado. O inquérito foi instaurado após suspeita de que declaração assinada pelo pastor morto passando a presidência da igreja a Melo ser considerada falsa. Duas perícias comprovaram que a assinatura de Perozin é falsa.

    Pesquero decidiu pedir a quebra de sigilo bancário para apurar a denúncia de que Wanderley Melo estaria “esbanjando” dinheiro da igreja para tentar “comprar e agradar muitos para se manter no cargo” após a descoberta da farsa da assinatura. De acordo com a representação encaminhada à Justiça, o delegado disse que membros da entidade teriam recebido “brindes” e “presentes” caros. Melo assumiu o comando da igreja em janeiro de 2009, poucos dias após a morte de Perozin.

    Para o delegado, as suspeitas são graves e precisam ser apuradas à exaustão. O pedido será analisado pelo Ministério Público e, posteriormente, a Justiça irá decidir se decreta a quebra do sigilo das contas bancárias dos integrantes da igreja. Se for confirmado o crime de falsidade ideológica, os envolvidos podem ser condenados pela Justiça à reclusão de um a três anos.


FONTE: http://www.creio.com.br/2008/noticias01.asp?noticia=12887
LEIA MAIS...

REAVIVAMENTO???


Hernandes Dias Lopes fala de crescimento evangélico Brasil afora


   O Reverendo Hernandes Dias Lopes, apresentador de programa na TV Presbiteriana do Brasil sobre o “reavivamento e o sepultamento,” disse que não acredita que a explosão do crescimento da Igreja evangélica do Brasil seja um sinal de um reavivamento espiritual.


    “A explosão de crescimento numérico da Igreja brasileira tem muito a ver com um evangelho que eu chamaria de um evangelho híbrido, sincrético, com práticas completamente estranhas à palavra de Deus,” afirmou ele.

   E adicionou “Um evangelho voltado apenas para a questão da prosperidade, para a questão das curas, o evangelho focado e centrado no homem.”

    Para ele, as pessoas estão procurando “aquilo que funciona,” “aquilo que o povo gosta” e não procurando “aquilo que glorifica a Deus.”

   “Esse crescimento tem extensão mas não tem profundidade.”

    Luis André Bruneto, missionário da SEPAL, que anunciou em estudo realizado em 2010, aprojeção para a população evangélica chegará a 109,3 milhões em 2020, seguindo uma taxa de crescimento anual de 7,42%.

    Apesar dessas estimativas, o pesquisador da SEPAL também não acredita que esteja acontecendo um reavivamento, caracterizado por profundas mudanças na sociedade.

   Entretanto, para muitos isso pode se tratar de um reavivamento da Igreja brasileira. Teólogos e antropólogos ouvidos pela conhecida revista brasileira éPOCA em 2010, disseram que a população evangélica, a partir do crescimento numérico, contribuirá para a diminuição no consumo do álcool, o aumento da escolaridade e a diminuição no número de lares desfeitos.

    Alguns motivos de porque a Igreja brasileira está crescendo tanto, o Bruneto listou, “o evangelismo aguerrido dos evangélicos, a adoção de regras menos rígidas, a ampliação da visão da vida cristã para dentro da sociedade, a flexibilidade dos costumes e o aumento da classe média.”

    O Reverendo Hernandes explicou que o reavivamento se expressa pelo arrependimento do pecado, pela sede de santidade, pela volta à Escritura, pela volta à oração, à evangelização.”

   “Quando a Igreja se volta para Deus não por aquilo que Deus dá, mas por aquilo que Deus é, é aí que a Igreja experimenta um reavivamento.”

    Na opinião do Reverendo, a Igreja evangélica brasileira precisa passar por uma reforma, voltando-se para as escrituras, tendo “os mesmos valores e princípios que inspiraram a reforma do século 16, ou seja, só a escritura, só a graça, só a Cristo, só a Deus a glória.”

    O Reverendo alertou que essa mudança começa pelos pastores, dizendo “o reavivamento começa nos púlpitos e não nos bancos ... Porque se os pastores forem inflamados pelo reavivamento espiritual eles serão então esses instrumentos de Deus para atear este fogo também nos crentes.”

    A história da Igreja evangélica brasileira, segundo Johnny Torralbo Bernardo,   apologista fundador do Instituto de Pesquisas Religiosas do Brasil (INPR) apresenta o surgimento da força evangélica nacional através das Igrejas pentecostais, com a Assembléia de Deus fundada por Daniel Berg e Gunnar Vingren, vindos dos EUA, em princípios do século 20.

    “Foi a primeira onda do pentecostalismo brasileiro,” informou Bernardo ao The Christian Post.

    Em seguida, o Brasil viria a ser tomado por uma onda de “neopentecostalismo,” com as principais denominações do país tais como a Igreja Internacional da Graça de Deus (com mais de 2.000 igrejas em todo o mundo sem informações do número de fiéis no país) e a Igreja Apostólica Renascer em Cristo (com cerca de 120.000 fiéis no país).

    O apologista citou o método de “Igrejas em células” advindo da Igreja coreana Full Gospel Church, na Coreia do Sul que foi implantado no país. Assim de pouco menos de 20 membros hoje há Igrejas que contabilizam uma média de cinco a seis mil crentes que frequentam os cultos regularmente, no Brasil.


FONTE: http://www.creio.com.br/2008/noticias01.asp?noticia=12893
LEIA MAIS...

MILAGRE: BEBÊ É ENCONTRADO VIVO DEPOIS DE SER LEVADO POR TSUNAMI NO JAPÃO


     Um bebê de quatro meses foi encontrado com vida no meio da lama. A criança foi arrancada dos braços dos pais pelo tsunami.
     O bombeiro, sorrindo, carrega a menina de quatro meses. O bebê foi encontrado depois que a equipe de resgate ouviu o choro, três dias depois do tsunami. Ela estava desaparecida desde a sexta-feira, 11 de março.
     No dia da tragédia, os pais estavam dentro de casa abraçados com bebê. A onda gigante invadiu a casa. Com a força da água, a menina foi arrastada. Não há informações sobre a mãe da criança, mas o bebê foi entregue ao pai.
     O bebê foi encontrado em Ishinomaki, no nordeste do Japão. No mesmo vilarejo houve outro resgate, de um homem que ficou preso nos destroços durante cinco dias. Ele foi resgatado na terça-feira, 15.
     Ainda há muitos lugares que estão isolados, onde só é possível chegar de barco.
     Nas cidades mais destruídas pelo tsunami equipes de resgate trabalham sem parar tentando encontrar sobreviventes. Procuram em meio a lama, entulho, chamam por pessoas dentro das casas.
     Também na terça-feira, 15, uma senhora de 75 foi encontrada com vida dentro de casa. O filho dela já havia tentado resgatá-la, mas como há muito entulho, não conseguiu chegar até a mãe. A mulher sofreu hipotermia, foi levada ao hospital, mas não corre risco de morrer.
     Na região de Myagi, três pessoas que estavam presas dentro de um carro por 20 horas foram resgatadas. A lama do tsunami impedia os sobreviventes de abrir a porta do carro.

LEIA MAIS...

sábado, 5 de março de 2011

POR QUE ORAR SE DEUS ESTÁ NO CONTROLE DE TODAS AS COISAS?



Pergunta: "Por que orar? Qual o sentido em orar se Deus conhece o futuro e já está no controle de todas as coisas? Se não podemos mudar a opinião de Deus, por que devemos orar?"

Resposta: 
Por que orar? Por que orar se Deus já está no perfeito controle de tudo? Por que orar se Deus sabe o que vamos pedir antes que o façamos?

(1) A oração é uma forma de servirmos a Deus (Lucas 2:36-38). Oramos porque Deus nos ordena que o façamos (Filipenses 4:6-7).

(2) A oração é exemplificada para nós por Cristo e a igreja primitiva (Marcos 1:35; Atos 1:14; 2:42; 3:1; 4:23-31; 6:4; 13:1-3). Se Jesus achava que valia a pena orar, também devemos achar.

(3) Deus determinou a oração como meio para que pudéssemos obter Suas soluções em inúmeras situações:

a) Preparação para grandes decisões (Lucas 6:12-13)
b) Derrubar barreiras demoníacas na vida das pessoas (Mateus 17:14-21)
c) Ajuntamento de obreiros para a colheita espiritual (Lucas 10:2)
d) Obtenção de forças para vencer a tentação (Mateus 26:41)
e) Um meio de fortalecer a outros espiritualmente (Efésios 6:18-19)

(4) Temos a promessa de Deus que nossas orações não são em vão, mesmo se não recebemos especificamente o que pedimos (Mateus 6:6; Romanos 8:26-27).

(5) Ele prometeu que quando pedirmos por coisas que estejam de acordo com Sua vontade, Ele nos dará o que pedirmos (I João 5:14-15).

Às vezes Ele atrasa Sua resposta de acordo com Sua sabedoria e para o nosso benefício. Nestas situações, devemos ser perseverantes e persistentes em oração (Mateus 7:7; Lucas 18:1-8). A oração não deve ser vista como nosso meio de obter que Deus faça nossa vontade na terra, mas como um meio de obter a vontade de Deus feita na terra. A sabedoria de Deus, em muito, excede a nossa.

Em situações para as quais não sabemos especificamente qual a vontade de Deus, a oração é o meio de discerni-la. Se Pedro não tivesse pedido a Jesus para chamá-lo para fora do barco até a água, teria perdido tal experiência (Mateus 14:28-29). Se a mulher síria cuja filha estava influenciada pelo demônio não tivesse orado a Cristo, sua filha não teria sido restabelecida (Marcos 7:26-30). Se o homem cego fora de Jericó não tivesse clamado a Cristo, ele teria continuado cego (Lucas 18:35-43). Deus disse que muitas vezes não recebemos porque não pedimos (Tiago 4:2). Em um sentido, a oração é como compartilhar o evangelho com as pessoas. Não sabemos quem responderá à mensagem do evangelho até que o preguemos. O mesmo ocorre com a oração: nunca veremos os resultados de uma oração respondida até que oremos.

A falta de oração demonstra a falta de fé e a falta de confiança na Palavra de Deus. Nós oramos para demonstrar nossa fé em Deus, que Ele fará assim como prometeu em Sua Palavra, e que abençoará nossas vidas abundantemente mais do que podemos pedir ou esperar (Efésios 3:20). A oração é nosso primeiro meio de ver a obra de Deus na vida de outros. Por ser nosso meio de nos “ligarmos” ao poder de Deus como se nos ligássemos em uma tomada, é nosso meio de derrotar nosso inimigo e seu exército (Satanás e seu exército) que, por nós mesmos, não teríamos forças para vencer. Por isto, que Deus nos encontre sempre perante Seu trono, pois temos um Sumo Sacerdote no céu que pode se identificar com tudo o que passamos (Hebreus 4:15-16). Temos Sua promessa de que “A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos” (Tiago 5:16-18). Que Deus possa glorificar Seu nome em nossas vidas conforme creiamos Nele de forma suficiente para que venhamos sempre a Ele em oração.
LEIA MAIS...

sexta-feira, 4 de março de 2011

QUE ABSURDO!!! QUE TIPO DE CRISTIANISMO É ESTE?


A participante Janaína foi eliminada do BBB na última terça-feira, 1.

    Sorrindo bastante e cheia de sonhos – os quais afirmou não terminarem com a abertura da porta de saída da mansão do BBB – Janaína do Mar, em conversa com jornalistas no Projac, na Zona Oeste do Rio, logo após a eliminação, na noite de terça, 1, reconheceu que sua bondade excessiva a prejudicou no jogo.

    “Faltou malícia, mas sou assim. No momento em que meu coração grita, já foi! Claro que não estou feliz por ter saído, tinha muita coisa a fazer ainda ali. Se alguém pensa que abrir aquela porta é o fim de um sonho, para mim é o contrário, o sonho só começa e o meu sempre foi dar orgulho aos meus pais”, disse.

    A ex-sister não se inibiu diante das perguntas (muitas!) sobre sua fobia por palhaços, fato revelado durante o reality.

     “Foi uma provocação gostosa da produção. é algo que sempre tive muita vergonha e, naquele momento, tive que enfrentar. Fiz tratamento por três meses, mas queriam fazer regressão, daí parei, morro de medo, acho que a pessoa volta meio retardada da regressão. Mas acredito que seja um problema de vidas passadas mesmo”, destacou.

    Na torcida por Daniel, Jana preferiu não apontar nenhum vilão no jogo e surpreendeu ao afirmar que, mesmo sendo evangélica, tem planos de um ensaio nu bem ousado.

    “Quero algo bem selvagem, cheio de poses, no mar”, disse, às gargalhadas.

    A mulata vibrou também com a notícia de que a X-9 Paulistana, escola de samba da qual é princesa, já tem uma fantasia separada para ela. Mas foi mesmo o reencontro com seu “Preto” que deixou Janaína eufórica.

    “Essa noite o Preto não aguenta, tenho até pena! Estou com a boca inchada porque pulei nele pra beijar e bati no dente, maior mico”, contou.



*OBS. PR. ANDERSON - "um problema de vidas passadas"??? (ela é evangélica ou espírita?) "tem planos de posar nua"??? Não é preciso dizer mais nada, não é mesmo galera?! QUE ABSURDO!!!
LEIA MAIS...

CASAMENTO: PARA ONDE FOI O AMOR?


Amor, muito mais do que a ideia de sentimento, é doação

     Talvez não tenha havido, na história da humanidade, um período em que se falasse tanto de amor, como o atual. Os “hippies”, com dois dedos levantados em forma de “V”, pregaram “paz e amor”. Através do rádio ou da televisão, dos jornais, revistas ou cartazes, deduzimos, sem muito esforço, que amor é um produto de consumo.

     Porque a estrutura social do homem é baseada em famílias, não pode haver sociedade humana sem que haja família. Estas são as primeiras a perder a idéia clara, objetiva do que é o amor e, conseqüentemente, não tê-lo na qualidade de sua determinação essencial. Nessa base, cônjuges colocam o rótulo de amor naquilo que é o seu maior inimigo: o egoísmo, ou seja, o uso das pessoas para satisfação do amor próprio.

     Amor, muito mais que a idéia de sentimento, é doação. Dar de si mesmo a outrem. Amor é uma atitude demonstrada em algo que acontece de modo tangível. Em outras palavras, ninguém ama abstratamente. Notemos os exemplos bíblicos: “Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela”; “Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho...”; “Ele me amou e a si mesmo se entregou por mim”. Por isso, o amor é primeiramente uma doação, uma entrega de alguém a outra pessoa. Tem que ser tratado, regado, cultivado. É onde me preocupo com o bem estar da pessoa amada, ajudando-a no que puder, planejando juntos a vida, na firme determinação de fazer tudo o que estiver ao meu alcance, pela felicidade dela.

     O casal deve relacionar-se mutuamente na base do amor. Para Hegel, “o amor matrimonial significa, a consciência de minha unidade com o outro e do outro comigo”.

     “No amor, eu conquisto minha autoconsciência unicamente como renúncia do meu ser para mim mesmo, minha individualidade, e conheço-me na unidade de mim mesmo para com o outro e do outro para comigo”. A união nesse alto nível, como expressa Lacey no livro “Casamento na Igreja e no Estado”, “é uma conjunção de duas vidas para viverem como se fossem uma”.

     É tão parte integrante da ordem natural das coisas que Voltaire ousou dizer que se não houvesse amor assim no casamento, ele “seria inventado”.

     Como é possível manter esta relação de amor no casamento? É preciso apropriar-se de um recurso que é descrito na Bíblia como Deus mesmo. Ele é amor e provou este amor para com os homens por meio da morte de seu Filho.

     A família é um reflexo do amor de Deus, onde as partes não são, cada qual, fim para si mesmo, mas a vida em amor com o outro. No amor está estabelecido o marco de referência que não somente modela o padrão de relacionamento do casal, mas por sua vez, permite seu crescimento.

     Sem a CONSCIÊNCIA de Deus e essa autoconsciência, não haverá compreensão do que venha a ser “dois sendo uma só pessoa”, nem solidariedade de matrimonial.

     Sem Deus, instituidor do casamento, expressão máxima do amor, e sem o outro, cuja unidade com ele é imperativo divino, o ser humano restringir-se-á a uma pessoa privada, independente para si mesmo, na sua individualidade egoísta, alguém deficiente e incompleto.



Data: 3/3/2011 08:34:53


Fonte: Eli Fernandes de Oliveira


http://www.creio.com.br/2008/vida01.asp?noticia=342
LEIA MAIS...

UM PASTOR COMPETENTE, QUEM O ACHARÁ?



Sair do trivial em busca de emoções é um passo para a imcopetência


Por: Cleison Mlanarczyki


     O trabalho pastoral não é difícil. Tenho que anunciar uma mensagem que não é minha, utilizar uma palavra que não é minha e apresentar uma vontade que não é minha. Quando anuncio o Evangelho, que é de Deus, eu sei que o ministério de Jesus é o exemplo a ser seguido. Quando utilizo a Palavra, que é de Deus, eu sei que não preciso “inventar moda”. Quando invoco o poder, que é de Deus, eu sei que a minha vontade não precisa ser publicada.
     O trabalho pastoral não é difícil. Basta conhecer os principais fundamentos da missão. Parece simples demais? Mas é mesmo! Vejamos: enquanto pastor, eu devo conduzir homens e mulheres aos pastos verdejantes e às águas límpidas e tranqüilas, para que lá saciem a fome e matem a sede. Eu conduzo, mas Deus dá o pasto e a água.
     Mas então, por que ainda erramos? Afinal, se o trabalho é tão simples, por que temos a sensação de que poderia ter sido melhor? Eis a resposta: muitas vezes saio do trivial em busca de emoções pautadas pela minha própria vontade, e as minhas idiossincrasias passam a ser vistas como “sonhos de Deus”. Agir assim é um passo para a incompetência.
     Diariamente corremos o risco de nos tornarmos pastores incompetentes. Você sabia disso?
     Serei um pastor incompetente se render-me às exigências de um mercado religioso que me obriga a empanzinar as ovelhas com novidades espirituais geradas pela conveniência humana, ao invés de tratá-las com a simplicidade e coerência do pasto criado pessoalmente por Deus. Isto é incompetência.
     Serei um pastor incompetente se me deixar subjugar pelas cobranças de um ministério messiânico, onde devo ter resposta para todas as dúvidas, resoluções para todos os problemas, mensagens para todos os encontros, tempo para todas as visitas, dinheiro para todas as literaturas e congressos, sorriso para todos os momentos e disposição para todos os “happy hours” da fé. E, além disso, jamais poderei ser assertivo (proibido dizer “não”). Isto é incompetência.
     Serei um pastor incompetente se me permitir acreditar que sou o dono da verdade. Um pastor que insiste em manter a sua “verdade” a qualquer custo gera um processo cancerígeno em sua comunidade. Se não há paz em um ministério pastoral, não será a verificação de teses e procedimentos que trará de volta a segurança ministerial. Nem sempre um pastor deixa uma igreja por estar errado, mas um pastor sempre estará errado ao insistir ficar onde já não há mais lugar para a sua “verdade”. Isto é incompetência.
     Serei um pastor incompetente se ceder aos infames convites de “multiplicação compulsória do reino de Deus”. O pastor que se rende aos delírios de grupos sectários demonstra que a sua carência e auto-estima chegou ao menor nível possível. A igreja se torna a “Porta da Esperança” com ovelhas “cabos eleitorais”, como se ter gente ao seu lado pudesse ser a prova de que dividir uma igreja faz parte da vontade de Deus. Isto é incompetência.
     Não quero ser um pastor incompetente. Não quero me render ao mercado religioso e fingir ter o segredo de todas as fórmulas de crescimento e sucesso. Quero ser eu mesmo. Quero lutar para eliminar os meus erros, aprimorar as minhas boas qualidades, viver a realidade na qual o meu Senhor me colocou. Quero ser competente.
     Não quero ser um pastor incompetente. Não quero deixar que me façam acreditar que posso ser o Messias. Não sou o responsável por todas as tarefas da igreja. Quero ser eu mesmo. Quero lutar para eliminar a falta de coragem, para delegar aos servos de Deus a sua parte no empreendimento e para realizar o trabalho que pulsa forte em minhas veias. Quero ser competente.
     Um dia entrei em crise! Precisava decidir entre ser um pastor incompetente (e lançar mão de todas as estratégias possíveis e impossíveis para fazer “meu” ministério crescer), ou ser um pastor competente (e ter coragem de utilizar as ferramentas e oportunidades dadas por Deus, sempre em obediência e submissão a Sua tão conhecida ética comportamental e relacional). Em meio à crise fui surpreendido pelas palavras de um amigo distante que, apesar de não o ter conhecido pessoalmente, me fez perceber a importância de suas palavras ao meu ministério:
     “...pastoreie o rebanho de Deus que está aos teus cuidados. Olhe por ele, não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer. Não faça isso por ganância, mas com o desejo de servir. Não aja como dominador dos que a ti foram confiados, mas seja um exemplo para o rebanho. Quando se manifestar o Supremo Pastor, tu receberás a imperecível coroa da glória”  1 Pe  5.2-4.
     site: www.institutojetro.com

LEIA MAIS...

PASTOR DIRIGE FERRARI ATÉ A IGREJA PARA ILUSTRAR PREGAÇÃO


    O pastor Ed Young prega ao lado de uma Ferrari no palco da Fellowship Church em Grapevine no Texas (EUA)

    Depois de causar polêmica no Twitter por tuitar “Alguém acabou de me dar uma Ferrari novinha! (Sic),” disse o pastor da Fellowship Church que literalmente dirigiu até palco da Igreja no domingo.

   Mas aquele não era o seu carro, de acordo com seu blog (uma chamada para a Igreja não foi imediatamente respondida). Ele estava usando o carro como parte de uma ilustração do seu sermão para sua mais recente série intitulada “RPM: Relacionamentos. Paixão. Matrimônio.”

    “Deus me deu uma Ferrari, porque eu sou uma Ferrari. Você também é uma Ferrari. Deus te deu uma Ferrari,” disse ele.

    Semanas antes, ele estava ao volante de um Rolls-Royce – que também foi usado como acessório – logo que ele apareceu no palco para seu sermão.

   O carro de luxo, considerado o carro do sonho entre muitos, também foi usado  como uma maneira de dizer à congregação que eles são um Rolls-Royce, porque eles são feitos à imagem de Deus.

   Nas últimas semanas, Young tem tentado transmitir a mensagem de que se Deus deu a todos um Rolls-Royce ou uma Ferrari (seu próprio corpo), muitos não a estão usando da maneira que deveria ser usada.

   “Estou dizendo a vocês que vários namoros defeituosos estão acontecendo em nosso mundo hoje,” disse ele. “Metade dos casamentos terminam como um relato de destruição… Não estamos fazendo a coisa certa antes do casamento. É por isso que estamos fazendo essa série.”

   Ao invés de deixar Jesus dirigir ou colocar no caminho de Deus, muitas pessoas estão fora do caminho, disse ele.

   “Quero dirigir o carro do jeito que eu quero,” disse ele, descrevendo os motoristas fora do caminho.

    Mas, afinal, isso estraga o carro, ele observou.

   O pastor de Grapevine, Texas, descreveu alguns dos hábitos dos namoros defeituosos ou as crenças que pessoas têm, incluindo as preocupações com um relógio biológico.

    “Em desespero, muitas mulheres se casam,” reconheceu ele. “Pensamos que o casamento vai resolver todos os nossos problemas. [E] trazer contentamento. ”

    Apontando para uma passagem na Bíblia, ele afirmou, “O casamento não vai simplificar a sua vida. Vai complicar sua vida.”

    O casamento não é o “sonho” que as pessoas pensam que é.

   Young simplesmente explicou: “Você é um pecador egocêntrico, casa com um pecador egocêntrico,” você tem filhos que também são “pecadores egocêntricos” e acaba com uma “coleção colossal de pecados egocêntricos.”

    “Isto é complexo.”

    Muitos também cometem o erro de colocar pressão sobre o cônjuge para curar o quebrantamento ou cada necessidade.

    Mas tudo que o cônjuge pode fazer é amar e apontar para o Grande Médico – Deus.

    “Se Jesus não for o número um, se Jesus não for o motor da Ferrari, vamos colocar pressão divina em seres humanos. Deus tem de suprir as necessidades mais profundas,” sublinhou.

    Young foi além ao abordar as questões de infidelidade, prostituição e adultério.

    A Bíblia declara cinco vezes diretamente e 23 vezes indiretamente para não fazer sexo antes do casamento, disse ele.

    Com mais detalhes, usando novamente o exemplo do carro, ele pediu para os solteiros pararem na “primeira marcha” – carinho – quando estiverem namorando alguém, mesmo que queiram entrar em segunda e terceira marcha.

   “A Bíblia diz para manter o sexo sexy. O sexo é bonito quando é usado no contexto em que Deus nos deu – o casamento,” ressaltou.

    “Não brinque de casinha. Espere até você se casar e então Deus irá levá-lo a outro nível.”

    Também expressando sua descrença na prevalência do adultério, Young explicou uma possível razão para isso.

    “[É] porque as pessoas têm sido tão infiéis antes do casamento,” disse ele. “Você é infiel à diretiva de Deus, você retira as diretivas de Deus, agita seu minúsculo punho em Seu rosto, vai para fora do caminho, pulando etapas… saindo com todas essas pessoas.”

   “Você? Casado? Acha que agora, vai ser fiel?”

    Para aqueles cuja “a virgindade está no passado,” Young deixou claro que Deus oferece o perdão e a transformação.

    “Dê as chaves a Ele,” persistiu ele, conforme pregava sobre ancorar-se na Palavra de Deus. “Vá para onde Deus quer que você vá”… Ele nos está dando a Ferrari. Eu até tuitei… Coloque as chaves para fora – “Eu tenho uma Ferrari novinha.”

    “É hora de uma revolução sexual. É hora de entender que somos Ferraris. É hora de dirigir para o caminho de Deus.”

     Young é conhecido por falar sobre sexo abertamente do púlpito. Ele ganhou as manchetes em 2008, pela emissão de um desafio de sexo de sete dias para os casais em sua Igreja e depois novamente em 2009 por contestar o fundador da AshleyMadison.com, um site para quem procura uma relação amorosa.

     Ele disse aos pais na congregação, que estão preocupados com seus filhos ouvindo sobre sexo que eles já estão ouvindo falar sobre isso em outras fontes. E a Igreja é o segundo melhor lugar para ouvir falar de sexo, disse ele.

LEIA MAIS...
 

PR. ANDERSON SERAPHIM - JESUS CRISTO NÃO É UMA OPÇÃO DE VIDA, É A ÚNICA FORMA DE VIDA Copyright © 2009 WoodMag is Designed by Ipietoon for Free Blogger Template