quarta-feira, 30 de novembro de 2011

ESPÍRITO DE RELIGIOSIDADE - PARTE 1



Geralmente, quando se fala de religião para qualquer pessoa, logo pensa-se sobre qual igreja ou grupo espiritual se deve fazer parte. O ser humano não consegue associar esta palavra com outro significado, muito menos com o significado verdadeiro desta palavra.

O significado básico da palavra religião vem do latim religare e significa “religar o homem com Deus”.

O ser humano tenta de todas as formas ligar-se ao sobrenatural, só que ele mesmo cria os seus próprios caminhos para alcançá-lo, e, nesta tentativa, inventa diversas divindades que ele considera ser alguém superior, no plano invisível. Ao invés de chegar-se ao único Ser Superior que existe, que é Deus, ele consegue imaginar e inventar outros deuses para si, e, ao invés de satisfazer-se com a presença divina, ainda materializa estas divindades de forma que possa sempre estar em contato físico com ela, e adorá-la da maneira que lhe convém. Outros, quando não adoram uma divindade, fazem de deuses para suas vidas os bens materiais, como casa, carro, dinheiro, etc.; alguns outros fazem dos prazeres a fonte de adoração, como o sexo, a glutonaria, a bebedice, o status, o poder, a sensualidade, a vaidade, etc.; e ainda outros, fazem outras pessoas serem seus deuses, como namorados(as), cônjuges, filhos, amigos, ou pessoas que já partiram desta vida, como familiares ou pessoas que elas mesmas consideravam exemplos de busca ao sobrenatural. Estas não formam e nem são a verdadeira religião.

Se examinarmos, de acordo com a definição acima (que é a definição legítima), o que é, de fato, religião, veremos que existe apenas uma maneira de vivê-la: é através de Jesus Cristo. Se religião é “religar o homem com Deus”, duas perguntas se fazem necessárias:
1)      Quem é esta divindade a que chamam de Deus?
2)      Por que preciso ser re-ligado com esta divindade, isto significa que não estou ligado a ela?

Analisando a Bíblia, aprendemos que esta divindade, a que chamam de Deus, é composta de três pessoas: Deus Pai, Deus Jesus Cristo e Deus Espírito Santo. As três são uma só pessoa. Aprendemos que precisamos ser ligados a Deus novamente porque uma vez decidimos, na pessoa de Adão, nos desligar dEle (Gênesis capitulo 3), e todos nós, seres humanos, nascemos sem qualquer ligação com Ele (Romanos 3:10,12,23). Mas Jesus Cristo morreu por nós para que pudéssemos ser novamente ligados a Ele (2ª Coríntios 5:19). Só através dEle podemos ser re-ligados a Deus (1ª Timóteo 2:5), e de ninguém ou qualquer outra coisa mais. Tudo o que podemos fazer para ligar-nos a Deus não tem valor perante Ele (Isaías 64:6; Romanos 3:10-12; 6:23). Somente através de Jesus Cristo isto é possível. Esta é a VERDADEIRA RELIGIÃO.

A palavra grega traduzida por “religião”, é threskeía. No Léxico Grego-Inglês do Novo Testamento esta palavra é definida como "a adoração de Deus, religião, especialmente conforme se expressa em ofícios ou cultos religiosos". O Dicionário Teológico do Novo Testamento dá outros detalhes, declarando: "A etimologia é controversial; peritos modernos defendem uma ligação com ‘servir’. Pode-se também notar uma distinção de significado. O bom sentido é ‘zelo religioso’, ‘adoração de Deus’, ‘religião’. Mas há também um mau sentido, isto é, ‘excesso religioso’, ‘adoração errada’". Assim, threskeía pode ser traduzido tanto por "religião" como por "forma de adoração", boa ou má. Essa palavra aparece apenas quatro vezes no Novo Testamento. O apóstolo Paulo usou-a duas vezes para referir-se à religião falsa. Em At. 26:5 registra sua declaração de que, antes de tornar-se cristão, viveu “fariseu conforme a seita mais severa da nossa religião". Em sua carta aos Colossenses, ele alertou: “Ninguém se faça árbitro contra vós outros, pretextando humildade e culto dos anjos" (Cl. 2:18). Essa adoração de anjos aparentemente era comum na Frígia daqueles dias, mas era uma forma de religião falsa. Curiosamente, ao passo que algumas traduções da Bíblia traduzem threskeía por "religião", em Cl. 2:18, a maioria usa a palavra "adoração".

As outras duas ocorrências da palavra threskeía estão na carta de Tiago. Ele escreveu:

"Se alguém supõe ser religioso, deixando de refrear a língua, antes, enganando o próprio coração, a sua religião é vã. A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo"  Tg. 1:26,27

Tiago mostra que a pessoa talvez se considere verdadeiramente religiosa, não obstante, a sua forma de adoração talvez seja fútil. A palavra grega aqui traduzida "fútil" significa também "ociosa, vazia, infrutífera, inútil, impotente, desprovida de verdade". Poderia ser assim no caso de alguém que afirmasse ser cristão, mas não refreasse a sua língua nem a usasse para glorificar a Deus e edificar outros cristãos. Estaria "enganando seu próprio coração", e não estaria praticando "a religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus".

Tiago não enumera todas as coisas que Deus exige com relação à adoração pura. Em consonância com o tema geral de sua carta, que é a fé provada por meio de obras e a necessidade de manter-se livre da amizade com o mundo de Satanás, Tiago realça apenas dois requisitos. Um deles é "cuidar dos órfãos e das viúvas nas suas tribulações". Isto envolve o verdadeiro amor cristão. Deus sempre tem demonstrado preocupação amorosa pelos órfãos e pelas viúvas. (Dt. 10:17, 18; Ml. 3:5). Uma das primeiras medidas dos apóstolos da Igreja do primeiro século, foi em favor de viúvas cristãs. (At. 6:1-6). O apóstolo Paulo deu instruções detalhadas a respeito de zelar amorosamente pelas viúvas idosas, necessitadas, que se haviam mostrado fiéis ao longo dos anos e que não tinham família que as ajudasse. (1ª Tm. 5:3-16).

O segundo requisito para a religião verdadeira mencionado por Tiago é "guardar-se incontaminado do mundo". Jesus declarou: "Meu reino não é deste mundo"; coerentemente, seus seguidores verdadeiros não fariam "parte do mundo" (Jo. 15:19; 18:36).

Outros significados para a palavra religião:
“1) Serviço ou culto a Deus, ou a uma divindade qualquer, expresso por meio de ritos, preces e observância do que se considera mandamento divino;
  2) Sentimento consciente de dependência ou submissão que liga a criatura humana ao Criador;
   3) Crença ou doutrina religiosa; sistema dogmático e moral;
   4) Veneração às coisas sagradas; crença, devoção, fé, piedade;
   5) Tudo o que é considerado obrigação moral ou dever sagrado e indeclinável;
   6) Ordem ou congregação religiosa.”   Dicionário Eletrônico Michaelis

“Religião é quando o homem resolve chegar a Deus pelas suas obras, fazendo alguma coisa, criando regras e fórmulas de se chegar a Ele.”   http://www.comunidadeatosdosapostolos.com.br/site/Conteudo.aspx?id=56

Como a palavra grega threskeía pode ser traduzida tanto por “religião” quanto por “forma de adoração”, e pode ter o sentido tanto verdadeiro quanto falso, é preciso tomar cuidado sobre como entendemos o sentido da palavra, sobre aonde apoiamos a nossa fé. Se a baseamos como Paulo fez (At. 26:5), estamos apoiando em algo falso, que nos leva à perdição; se religião é basearmos nossa fé nos caminhos que fazemos para chegarmos até Deus, não nos resta esperança. Mas se a nossa fé está na verdadeira religião, que é Cristo, e que produz em nós o amor, resultado deste re-ligamento em Deus, como disse Tiago, então estamos no caminho certo.

Quando me perguntam: “A qual religião você pertence?” Eu digo: “Jesus Cristo!” Porque as pessoas entendem que religião é um grupo religioso, que possui determinado conjunto de crenças, que, se for seguido firmemente, traz uma transformação da moral humana. Este tipo de religião faz jus à certas definições da palavra, como vimos, porém não nos liga verdadeiramente a Deus, não nos salva, só nos reforma.

Todo ser humano nasce com uma necessidade de preencher seus pensamentos e sentimentos com algo invisível, sobrenatural, isto é provado pela Bíblia:

“Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim.”   Eclesiastes 3:11

Este vazio que há em nosso coração foi colocado pelo próprio Deus, para que possamos ter a curiosidade de buscar preenchê-lo durante a nossa existência nesse mundo. De alguma maneira em vida, o ser humano tentará preenchê-lo, através dos seus caminhos, como vimos. Porém, este preenchimento só pode ser satisfeito em Deus.

Outra prova que encontramos da necessidade de preenchermos com a presença de Deus o vazio que há em nossos corações está nos versículos abaixo:

“Quando, pois, os gentios, que não têm lei, procedem, por natureza, de conformidade com a lei, não tendo lei, servem eles de lei para si mesmos. Estes mostram a norma da lei gravada no seu coração, testemunhando-lhes também a consciência e os seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se ...”   Romanos 2:14,15

Você já percebeu como tem uma noção muito forte daquilo que é certo é daquilo que é errado? Exemplos: Por que você não sai agora na rua e mata alguém? Porque é contra a sua natureza fazer isto! Por que você não rouba um outro semelhante teu e fica com a consciência tranquila? Porque é contra a sua natureza fazer isto! E outras coisas mais! Porque é contra a sua natureza? Porque, mesmo que você não acredite, foi Deus quem colocou esta consciência em você! Fazer o que é certo está gravado em seu coração (e tudo o que é certo e bom procede de Deus – Tiago 1:17), como dizem os versículos acima, e fazer o errado é contra a sua natureza, quando você o faz é porque está dominado pelo pecado, o mal que há em cada coração humano.

Este vazio que há em cada ser humano e esta necessidade que temos de fazer o que é correto são sinais de que devemos buscar satisfazê-los na verdadeira religião: DEUS!

Relembrando, religião verdadeira não é o que podemos fazer para Deus, mas é o que Ele pode fazer em nós, através de JESUS CRISTO!

Contudo, a necessidade que há de criarmos caminhos para Deus existirá em nós todo o tempo, durante toda a nossa existência neste mundo. E nós temos que lutar contra isto! Temos que, dia após dia, escolher entre viver uma religião ou andar no Espírito Santo e confiar em Deus todo o tempo, e naquilo que Ele escolher para nós, e não confiarmos em nós mesmos!

É aí que entra o ESPÍRITO DA RELIGIOSIDADE!

Continua ...

PR. ANDERSON SERAPHIM
Blog Widget by LinkWithin

0 comentários:

 

PR. ANDERSON SERAPHIM - JESUS CRISTO NÃO É UMA OPÇÃO DE VIDA, É A ÚNICA FORMA DE VIDA Copyright © 2009 WoodMag is Designed by Ipietoon for Free Blogger Template