quarta-feira, 30 de novembro de 2011

ESPÍRITO DE RELIGIOSIDADE - PARTE 5



Casos de religiosos na Bíblia:

Caim, um religioso (Gênesis capítulo 4)
Caim percebeu que Deus não se agradou de sua religião, enquanto que se agradou das atitudes de seu irmão Abel. Ao invés de buscar a transformação de suas ações pelo Espírito de Deus, Caim preferiu livrar-se daquele que estava andando em Espírito. O crente religioso não gosta de estar perto do crente que anda no Espírito.

Saul, um religioso
Saul era o tipo de “crente” que sempre “obedecia” a Deus pela metade. Tudo o que Deus mandava Samuel dizer para Saul fazer, este o fazia pela metade. Deus não se agradou dele. Chegou um momento em que Samuel teve de confrontá-lo e dizer: “O Senhor tem tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à Sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar!” (1ª Sm. 15:22,23). Quantos crentes são religiosos por não entenderem isto, acham que suas obras são mais aceitáveis do que sua obediência a Deus. Primeiro obedecemos à voz de Deus, depois fazemos as boas obras para Ele, por meio do poder de Cristo em nós!

Israel, povo religioso
Israel serviu a Deus verdadeiramente por diversas vezes. Mas quantas vezes Israel tornou-se religioso! Houve um tempo em que Israel se aproximava de Deus só com os lábios, mas o seu coração estava distante dEle (Is. 29:13). Fico imaginando muitos crentes assim hoje que vão às reuniões da Igreja e dizem ser santos só da “boca para fora”, enquanto o coração deles ama o mundo! Muitos são hipócritas! Em outro tempo, Israel realizava diversos jejuns a Deus, mas não recebiam Suas respostas. Chegaram a questionar porque o Senhor não respondia seus sacrifícios de jejuns, e Deus disse que era porque o verdadeiro jejum que Deus queria não era aquele, mas sim que se fosse sensível às necessidades dos perdidos sem o amor de Deus (Is. 58:1-10), estavam confiando em suas obras e não estavam ouvindo a voz de Deus! Ainda noutro tempo, Deus disse ao povo que não queria mais suas festas, seus holocaustos e nem seus cânticos, por causa de sua rebeldia e religiosidade (Amós 5:21-23).

Tradição de homens acima da Bíblia (Mt. 15:6-8)
Quantos crentes e denominações colocam seus ensinamentos, suas tradições acima dos ensinamentos da Palavra de Deus! Afirmam: “Tal prática não faz parte de nossa identidade denominacional!” (ainda que faça parte da Bíblia); “Nós, denominação X não fazemos isto porque isto é coisa da denominação Y, mesmo estando na Bíblia!” Religiosidade!

O Maior no reino dos céus (Mt. 18:1-4)
Quantos crentes preocupados em serem maiores e melhores do que outros, que época nós estamos vivendo! Crentes e denominações que afirmam: “Deus é Deus aqui desta denominação ...” “A denominação X conhece o que realmente é o poder de Deus, as outras não!” “Em breve, seremos a maior denominação do país!” “Recebemos o prêmio de melhor gravadora, editora, ministério, do Brasil!” e etc. Que religiosidade!

Os Fariseus
Um braço do Judaísmo que fazia de tudo para seguir a Lei de Deus à risca. Louvável atitude, porém, os fariseus se tornaram religiosos, começavam a se achar melhores do que os outros judeus (Lc. 18:10-12); cumpriam bem os rituais religiosos, mas através de suas atitudes falsas e egoístas anulavam sua fidelidade a Deus (Mateus capitulo 23). O mesmo espírito que atuava neles é o que atua em muitos crentes hoje. Quantos líderes cristãos pregam uma coisa e vivem outra (Rm. 2:20-23)! Religiosidade!

Judas Iscariotes
Participou das mesmas reuniões de ensinamentos que os outros apóstolos e discípulos, viu os mesmos milagres de Jesus, andou junto na mesma fé, mas não deixava nada penetrar em seu coração para transformar sua vida! Religiosidade!

A Mulher Samaritana (João capítulo 4)
Nada preenchia o vazio do seu coração, pois não teve, anteriormente, um encontro verdadeiro com Deus. Estava mais preocupada com os outros do que consigo mesma (4:9,10); estava no sexto casamento e ainda não estava satisfeita (4:16-18); não aceitava ser confrontada com a verdade (4:18,19 – fugiu do assunto); e preocupada com qual era o local correto de adorar a Deus (4:20). Quantos crentes, já salvos, continuam tendo um vazio em seu coração e estão vivendo as mesmas coisas que esta mulher! Religiosidade!

Simão, o mágico (Atos capítulo 8)
Crentes como Simão são pessoas que se convertem a Cristo, mas que continuam religiosos, tendo motivações erradas (8:18-24). Religiosidade!

Os filhos de Ceva (At. 19:8-17)
Quantos  crentes veem outros que o tem o poder de Deus sendo usados por Ele e tentam imitá-los sem conhecer realmente o poder do Espírito Santo, acham que com sua religião vazia vão conseguir alguma coisa!

A Igreja de Éfeso – Ap. 2:1-7
Esta igreja era religiosa. Eles eram crentes dedicados à obra de Deus e eram perseverantes (2:2); eram apologistas, amavam defender a Palavra de Deus (2:2); tinham maturidade e estrutura espiritual para suportarem provações (2:3); porém eram religiosos, abandonaram o primeiro amor, não viviam por ele (2:4). Quantas igreja são assim hoje! Religiosidade!

A Igreja de Sardes – Ap. 3:1-6
Esta igreja tinha muitas obras para Deus (3:2). Provavelmente era uma igreja grande, tinha muitas congregações fundadas, ganhavam almas, tinham muitos crentes reunidos em cada culto, etc., mas Deus disse que esta igreja tinha “nome de que vive, mas estava morta”, porque não estavam vivendo em santidade diante dEle. De que adianta uma igreja assim? Conheço igrejas assim! Religiosidade!

A Igreja de Laodicéia – Ap. 3:14-22
Esta igreja achava que estava tudo bem com ela, mas quem dá a sentença final não são os crentes da igreja, não são os pastores, não é nenhum ser humano, é Deus, e Ele disse que ia vomitar esta da boca dEle. Uma igreja que achava que não precisava de mais nada, já tinham “conquistado muitas coisas no reino espiritual e físico”, não é mesmo? Religiosidade!



Continua ...



PR. ANDERSON SERAPHIM

Blog Widget by LinkWithin

0 comentários:

 

PR. ANDERSON SERAPHIM - JESUS CRISTO NÃO É UMA OPÇÃO DE VIDA, É A ÚNICA FORMA DE VIDA Copyright © 2009 WoodMag is Designed by Ipietoon for Free Blogger Template